RFCC 2018

Nossa história e missão

Como missão a Rede Feminina de Combate ao Câncer busca contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos pacientes oncológicos e de seus familiares nas cidades de União da Vitória e Porto União, por meio do acolhimento, apoio e suporte, com foco na humanização do tratamento e na prevenção precoce.

A sua visão é atuar com excelência na prevenção e enfrentamento do câncer, mantendo a qualidade de vida dos pacientes e familiares, influenciando nas políticas públicas de saúde. Sendo uma instituição de caráter privado, sem fins econômicos, de finalidade social e filantrópica. É formada por uma Diretoria Executiva, Conselho Fiscal, Assembleia Geral e diversos setores.

1960

A Rede Feminina de Combate ao Câncer (RFCC) foi criada na década de 60 por Clarice Manfroni e Anete Stefani, e até 1990 arrecadava dinheiro que era remetido ao Hospital Erasto Gaertner, em Curitiba - PR, com o objetivo de auxiliar no tratamento de doentes encaminhados desta região.

1997

No dia 03 de julho de 1997 foi reativada, com o objetivo de sensibilizar e mobilizar a comunidade de Porto União da Vitória para a construção da Unidade Oncológica na região, junto ao Hospital São Braz. Em 13 de junho de 2000 foi inaugurada sua sede própria à Rua Coronel João Gualberto, n.º 300, no Centro de União da Vitória, denominada "Casa Bebel", em homenagem à enfermeira Izabel Carvalho Martins, que dedicou sua vida auxiliando doentes carentes portadores de câncer de nossas cidades.

2003

A Rede Feminina de Combate ao Câncer foi declarada de Utilidade Pública Municipal em União da Vitória pela Lei n.º 2827/2001. Em Porto União, a Rede Feminina de Combate ao Câncer foi oficialmente fundada no dia 23 de outubro de 2003, com a presidente nacional da Rede Feminina de Combate ao Câncer, Sra. Sônia Maria Silveira Mastella e declarada de Utilidade Pública Municipal pela lei n.º 008/2004 de 23 de junho de 2004.